domingo, 27 de dezembro de 2009

As Crônicas de Nada - Volume 1

Certas coisas que vivo são realmente assustadoras. Chegam a parecer até com histórias de aventura, como Senhor dos Anéis. Por isso decidi escrever as Crônicas de Nada, uma série de histórias assustadoras e de tirar o fôlego. Aí vai a primeira história.

"O Calorão, a Areia e o Guarda-sol
Num domingo pela manhã, eu chegava à praia acompanhado pelos meus pais e meu irmão. Nem imaginava o que ia viver naquele dia. Calmamente achamos um lugar bom para ficar. Fiquei sentado embaixo do guarda-sol um pouco, conversando com minha mãe, enquanto meu pai brincava com meu irmão. Estava prestes a acontecer.
Após um tempo percebi-me desenhando algo na areia quente e macia, algo de que não me lembro a forma, nem conteúdo. Eu estava ficando com mais calor embaixo daquele guarda-sol, mas não estava com vontade de entrar no mar ainda. Repentinamente, algo azul com rodas enferrujadas passou na minha frente com uma lentidão proposital. Era um vendedor.
Não prestei atenção no que ele oferecia. Não produzia som algum, mas nem por isso deixava de chamar a atenção de todos. A princípio não entendi a razão de que pouquíssimos fregueses lhe chegavam. Mas depois que observei com atenção seu comportamento, percebi o motivo de tão pequena clientela. O que eu vi foi terrível, a coisa mais assustadora que já vi em minha vida. Nesse instante minha mãe olhou para mim e perguntou:
-Quer a câmera?
-Rápido! - respondi eu.
Agilmente liguei o aparelho e posicionei-o de modo a não perder aquela imagem."
Das memoráveis aulas do professor Acácio, lembro-me que ele sempre falava que uma alimentação balanceada era o caminho mais fácil para uma boa saúde... Eu concordo, mas esse vendedor levou isso a sério demais!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Papai Noel vai vir de barco...

Refletia um pouco sobre o Natal assistindo ao especial de Madagascar (não o dos pinguins, o outro com todos os personagens) quando cheguei a uma conclusão importante: o Papai Noel não voa mais no trenó, provavelmente ele vem pelo mar... Vou explicar porque...
Antigamente era realmente uma boa ideia o uso do trenó voador, visto que àquela hora da noite o céu estaria disponível ao Papai Noel que teria que disputar só com um avião ou outro, mas atualmente a realidade é outra: há avião por todos os lados, cruzando por novas rotas todos os dias. E ainda há outro problema no céu: a visão do bom velhinho. "Mas ele usa óculos", você leitor diz, mas digo-lhe eu que não é dessa visão que falo. Estou falando de ver a cidade. Como ele e as coitadas das renas vão enxergar as cidades no meio das nuvens de poluição das grandes cidades? E convenhamos que um trenó daquele tamanho com não-sei-quantas renas na frente nunca facilitou a vida de ninguém...
Pensando em que possível atitude o Papai Noel tomaria cheguei à única opção viável: vir de barco... Isso facilitaria a vida de todos. Só seria necessário transformar a mágica de fazer as renas voarem em mágica de fazer chover... Como, no Brasil, se chover alaga, ele só teria que fazer chover um pouco e poderia circular livremente pelo país todo, só teria que aumentar a dose da chuva no interior, onde o presente seria a própria chuva...
Depois dessa reflexão sem futuro algum, eu concluo dizendo uma frase que li no jornal: Não faço compras de Natal porque não tenho saco pra Papai Noel... Hahahahaha

sábado, 12 de dezembro de 2009

Cuidado com a sua saúde!!!

Baseado em estudos pessoais em cooperação com meu amigo Humberto no ano passado (ah, os velhos tempos...) publico agora nossa descoberta a muito esquecida. Observando o comportamento dos emos, descobrimos coisas que vão revolucionar a medicina no mundo todo!
Todos sintomas, que irei relatar, são provocados pela exposição excessiva a qualquer forma de conteúdo potencialmente emo. O principal sintoma é a alteração sanguínea. As Hemoglobinas sofrem uma mutação e tornam-se Emoglobinas, deixando assim de serem vermelhas e tornando-se roxas. Além disso o sangue torna-se mais escuro, chegando a tonalidades semelhantes à cor preta. Diante desta situação, podemos observar uma característica da natureza superemo: a mistura de preto com branco(dos glóbulos brancos) com roxo, considerando que a essa altura o sangue parece um tremendo quadriculado... Melhor nem imaginar!
O
utra descoberta, esta de autoria de Humberto, mostra que, diante do quadro acima descrito, o portador deste quadro clínico fica necessitado de uma sessão mensal de Emodiálise, para medir as taxas de teor emo no sangue. Caso essa taxa caia em excesso, o indivíduo necessitará de uma dose de Emorfina semanalmente.
E por último, o quadro mais preocupante. Que ocorre por uma overdose de emo causando atrofia dos nervos receptivos do cérebro, fazendo com que o indivíduo não escute mais nada além de NX Zero, Fresno, Simple Plan, e outros agentes agravadores.
Por isso, para sua própria segurança, mantenha-se longe de tais perigos e não aceite música de desconhecidos sem ter a devida certeza de que este está lhe oferecendo algo que não venha a lhe prejudicar como foi mostrado nesta postagem.
Até a próxima e faça como eu: só escute Metallica, System Of A Down, Disturbed, DragonForce, Chico Science e Nação Zumbi etc...

domingo, 6 de dezembro de 2009

O ENEM foi uma aventura...

Vou escrever isso bem rápido, porque convenhamos que depois de fazer a prova do ENEM ninguém consegue raciocinar direito pelo resto do dia. Mas o que vou narrar comprova que a referida prova não é apenas um simples questionário (até porque ela não é nada simples...).
Tudo começou quando o verdinho chegou... Sim, ele mesmo, o segundo cartão de incrição. Acontece que eu moro nas proximidades do bairro da várzea e, a princípio, eu iria fazer a prova na UFPE, que não é longe da minha casa. Porém, com a chegada do indesejável de cor de capim desidratado (o cartão, pra você que está viajando tentando entender o que eu estou falando), descobri que meu novo local de prova era no bairro de Boa Vaigem, o que implicava na necessidade de tomar três ônibus tanto para ir como para voltar.
No primeiro dia, tudo ocorreu tranquilamente... Na ida... Porém, como era de se eperar pelo peso de minhas palavras anteriores, a volta não foi tão confortável. O ônibus de uma banda de forró (creio eu, porque essas músicas são tudas iguais: forró, brega, swingueira, pagodeira, forrozeira, bregadeira... essas coisas todas...) bateu em uma moto fechando o trânsito da avenida. Até aí tudo bem, nada demais, foi só uma fatalidade. Até o momento em que o motorista (talvez com o estômago desarranjado, não sei...) começou a cortar caminho por ruas estreitas como o corredor de um bloco residencial, porém um tanto acelerado... Pra resumir, eu fui à montanha russa sem ter que pagar entrada...
no segundo dia, como se não bastasse o primeiro, eu vivi uma aventura do começo ao fim... Começando o dia, fui forçado a dividir o ônibus da linha CDU/Caxangá/Boa Viagem com um número incontável de pessoas que com destino à praia, o que não seria problema se as referidas fossem a viagem toda em silêncio... Mas tudo bem, todos já passamos por isso um dia... E voltando para casa, minutos após eu ter presenciado o momento em que minha prova, na parte de matemática, começou a dançar na minha frente, dando voltas e voltas, subi num ônibus da linha que eu escrevi aí em cima. E, no meio do caminho, nas proximidades do aeroporto, fui forçado a fazer uma análise psicológica do motorista e acabei chegando a duas possibilidades: 1°-> Ele sonhava em ser piloto de fórmula 1, mas não conseguiu realizar o sonho... 2°-> Ele estava brincando de Need For Speed com o ônibus... Esta segunda é que eu creio ser mais provável, já que ele demonstrava uma habilidade nas ruas nunca dante vista com um ônibus. Cheguei até a pensar que ele ia tentar um drift por entre os carros, mas ele deve ter deixado essa pra outra viagem...
E pra acabar o dia, no qual eu termino esta postagem
na última meia-hora, quando eu chego em casa, tenho a quase impossível missão de achar algo que preste pra assistir na tv... E é por isso que eu estou aqui agora, no computador... Até mais ler...
(Eu estou com sono, não vou revisar a postagem... Deve (ou devem?) haver um monte de erros... Mas não tem problema, ninguém percebe mesmo, só eu com minha mania de auto-correção... E por que você, caro leitor, ainda está lendo isso? Não percebeu que eu estou escrevendo só pra chegar a alguma coisa que sirva pra acabar a postagem? Então vou acabar com uma reflexão sobre o sono que está me derrubando da cadeira: "O sono é como... ... ..." Ah, sei lá... Vou dormir!...)

sábado, 14 de novembro de 2009

O resultado de uma discussão é sempre inesperado...

Num dia comum de aula, um daqueles em que você está realmente inspirado pra discutir a natureza dos super heróis, copiávamos alguma coisa do quadro enquanto conversávamos sobre o Demolidor e o Batman... Permita-me explicar o porque de tal assunto.
Levantou-se a questão de que o Demolidor é o herói mais sem explicação que existe, já que ele fica cego e começa a "enxergar" pelas ondas sonoras. Daí eu falei que, olhando por esse lado, realmente o Demolidor devia ser o Batman e o Batman que se virasse pra achar outra fantasia...
Porém paro e interrompo a história, pois o que interessa aqui não é a discussão, mas, como diz o título da postagem, como ela termina... E tal conversa acabou assim: de um assunto inacabado com alguém que não tinha nada a ver com a história, Kelvin olha para mim e Léo (que estávamos discutindo sobre os dois heróis) e fala que tem um poema (não me pergunte o porque desse poema surgir exatamente nesse momento)... Tal poema é um exemplo de romantismo (não da escola literária, mas do romantismo em si... Você entendeu...), então prepare o seu coração, pois essa postagem vai acabar com a transcrição desse poema:

(Kelvin não falou se há um título)
Subi numa árvore
Para ver ela passar
E quando ela passou
Eu desci,
que eu não sou besta...
(Kelvin Oliveira)

Hahahahahahahaha... Kelvin, você realmente é um poeta nato...

Doeu nos ditos... (DDDs parte 4)

Demorei, mas voltei... E depois de alguns séculos sem novidades das DDDs, elas voltam à ativa... Quando digo "elas" subentende-se apenas uma delas, já que Emilly está de greve desde que fundei este tópico no começo do ano e Elizabeth me ameaçou de morte caso eu poste alguma das suas proesas linguísticas. Mas, por sorte, essas duas frases são de grande impacto para o que talvez venha a ser a última postagem do tópico das DDDs.
Quando ouvimos ditos populares, esquecemos que são frases que sobreviveram ao tempo, são um tipo de tradição. Porém até o leite numa embalagem "longa vida" um dia estraga (nossa, que analogia...), e tinha que haver um agente catalisador pra alterar os velhos ditos... Foi assim que tal DDD agiu e eu descobri que ela "fala certo por linhas tortas". Confesso que logo de cara não percebi nada estranho, mas logo percebi Elizabeth ao meu lado morrendo de rir de alguma coisa que tinha ouvido. Assim que ela me explicou e eu controlei meus risos, parei e pensei: bom, se é assim eu enxergo certo por raios de luz curvos, se é assim eu respiro ar no estado líquido...
E para nosso desespero não foi só esse dito que sofreu nas frases dessa DDD, houve mais uma vítima que não pôde ser salva. Foi quando nos tornamos receptores de ondas sonoras que formavam a frase: "não come no prato que tu comeu!"... Os presentes agradeceram a dica, mas nós já sabíamos que temos que lavar o prato antes de comer nele novamente...
Encerrando essa postagem, transcrevo uma frase da DDD Elizabeth (essa eu tenho permissão pra postar) que tem bem a ver com o assunto exposto: "Quando se está no fundo do poço sempre se pode dar mais uma cavadinha..."

domingo, 25 de outubro de 2009

Agora também é sério...

Pra quem não quer só risadas, comecei a falar um pouco com seriedade. Em parceria com Paulo Paiva criei um blog que fala sério na medida do possível.
www.comentarios-jp.blogspot.com

Mas em todo caso... Aproveite para ler as postagens abaixo também ^^

sábado, 24 de outubro de 2009

Parecia até uma fábula!...

Essa semana aconteceu um fato um tanto interessante e que vou levar em minha memória como uma lição aprendida: a vida, às vezes, imita a arte. Sim, a frase é nessa ordem mesmo. O referido fato parecia mais uma encenação de uma fábula infantil. Vou tentar explicar do modo mais detalhado possível.
Foi num desses intervalos de minha vida estudantil, em que eu estava conversando com as DDDs (pra quem não conhece, elas estão em alguns posts anteriores) e Kelvin, quando um outro amigo meu vem em minha direção, até aí tudo bem. Porém, durante o percurso ele é abordado por uma pessoa que diz, sem parar de andar: "Tô com sono..." Nada mais normal.
Seguindo seu caminho em minha direção mais uma pessoa sonolenta passa por ele e diz :"Que sono..." Mas o número de pessoas com sono ainda estava na média. E ele seguiu seu caminho.
Ainda em sua árdua missão de chegar a mim, ele seguia seu caminho quando mais uma pessoa com uma aparência de zumbi recém-ressucitado passa por ele e diz: "Tirei um cochilo massa..." Inabalado, ele seguiu seu caminho, pois já havia entendido as razões de tais efeitos naquelas pessoas.
Ao finalmente chegar a mim, ele percebeu minha confusão diante daquela situação e explicou sem titubear: "Foi aula de história..."
Moral: a história do Brasil é tão estimulante quanto o som do despertador numa segunda-feira.

domingo, 18 de outubro de 2009

A culpa é nossa!!!

Pois é, terceiro ano... Vestibular (só para alguns)... O ENEM mudou, mudou, mudou mais um pouquinho, ficou tão fácil a ponto de estar cômico, e quando chega em cima da hora A PROVA É ADIADA!!! Muita gente deve estar pensando "Só por que eu tinha estudado" ou "Se eu fosse terceiro ano no ano que vem tinham esperado ano que vem pra roubarem a prova"... Mas sinto lhes informar, caros leitores, que a situação não é bem essa...
Acontece que, se algo que devia acontecer não acontece ou só acontece quando não tem mais graça, é porque a turma do terceiro ano do meu colégio (sim, é só uma mesmo) está envolvida no contexto dos participantes. "Hein?" me pergunta o leitor, e eu explico. Faça as contas: só esse ano o meu colégio decide providenciar uma sala de informática que só vai funcionar no ano que vem, ou seja, só porque a minha turma está lá... só esse ano decidiu-se reformar parte do colégio, ou seja novamente, só porque a minha turma está lá... O ENEM muda e, quando fica super fácil, alguém vai e rouba! Está provado! A culpa é nossa!
É por isso
que um certo fato aconteceu pouco tempo atrás, antes da prova ter vasado. O professor veio com aquela velha frase "Pois é, o ENEM é sábado". E um colega que estava visivelmente com os nervos à flor da pele demonstrou seus estado com a seguinte frase: "ENEM? Eu tô ENEM aí!"... Hahaha! Sério, adorei essa frase! Caro colega, TU É O CARA VÉI!

domingo, 11 de outubro de 2009

Minha sala está vivendo o seu iluminismo...

São incríveis as respostas que podem ser dadas com poucos segundos de raciocínio... Caros leitores, preparem-se, pois o que está por vir nos seguintes parágrafos (ou seguinte, não sei o quanto vou escrever ainda) é uma enxurrada de respostas, no mínimo, brilhantes que foram dadas por mentes iluminadas.
Atenção físicos de plantão! Foi descoberto que as três leis de Newton (também chamadas por alguns de Ladys Newton) não são só de Newton, mas também de outro cientista. Duvida? Então veja isso. O professor tentava dar aula: "Esses são dois grandes filósofos iluministas...", quando um aluno tenta expor seus conhecimentos: "Isaac e Newton!"... ... Pois é, então vai ver que quem criou a teoria da relatividade foi Albert com seu grande amigo Einstein...
E a química está em combustão (pegando fogo, caso o leitor não entenda da matéria) desde o retorno das férias... Primeiro com os super-heróis do mundo real, e agora, com a observação de um novo estado físico da água! A pergunta crucial: "Qual o estado físico da água na nuvem?" E a resposta dada numa linguagem altamente técnica: "Algodão!"... Nossa! Isso quer dizer que a cueca que estou vestindo agora pode ser tecida por água!
Não pense, possível leitor, que acaba por aí... São tantas que eu vou colocar as próximas sem comentários... 1- "Por que cachorro não reclama de dor nas costas?" -> "Porque ele não fala!" 2- "Se começar a respirar dentro d'água vai acontecer o que?" -> "O pulmão vai se afogar!" 3- "O tecido hematopoiético..." -> "Por que hematopoiético? Ele faz poema é?"
Pra acabar esta postagem, vou transcrever um ocorrido um tanto estranho... De repente, no meio da aula, um colega meu começa a emitir ruídos estranhos no quase silêncio da sala. Por estar próximo a mim, virei-me para observar que estranha criatura fazia tão estranha frequência sonora que perturbava meus tímpanos. Sem serimônia perguntei que diabos era aquilo e ele me respondeu da seguinte maneira: "É um porco mugindo..." Penso comigo... Não é tão estranho um porco mugir, afinal minha avó tem um gato que late e um cachorro que mia, talvez a convivência tenha alterado a personalidade dos bichos...
*[Só pra constar, é verdade sim... Os dois cães dela latem "miando" , e o gato bota os cães pra correr...]

sábado, 10 de outubro de 2009

Ainda estou vivo!!!

De antemão vou logo avisando que estou sem internet em casa há um tempo, mas volto à ativa da lan house mesmo, onde estou tentando fazer essa postagem em tempo recorde: com os últimos 23 minutos que sobraram das minhas duas horas muito disputadas pelo Messenger... E de antemão, também, aviso aos possíveis ainda leitores que esqueci meu caderno de anotações em casa, então vou falar de um fato um tanto estranho que vivi na praia... Que comece a narração...
EXTRA!!! EXTRA!!! ATENÇÃO COMUNIDADE DE BIÓLOGOS LEITORES DESSE BLOG (nesse caso, só o professor Acácio)!!! ACABO DE DESCOBRIR NOVAS ESPÉCIES!!! Estava eu, num belo dia nublado de sol e chuva (se é que isso é possível), sentado embaixo do meu guarda-sol conversando com minha mãe enquanto meu pai brincava na água com meu irmão, quando tive tais visões. Assumo que já havia visto figuras semelhantes vezes antes na praia, mas não havia atentado para sua existência até aquele dia. Então decidi compartilhar tais descobertas com meus pouquíssimos, mas em crescente número, prezados leitores (já que essa descoberta não vale dinheiro algum...).
Olhava para o chão, desenhando alguma coisa na areia, quando alguma coisa gigantesca bloqueou o sol. "Bem, era só uma nuvem" você deve estar pensando, e foi o que eu pensei também, a princípio, mas logo vi que minhas suspeitas estavam erradas... Pois se tratava de uma das novas espécies que descobri: um Hipopotamus Praia-de-boa-viagensis... Um animal com grande quantidade de gordura acumulada, não para se aquecer, mas sim para dar de dor nas costas, assaduras nas pernas e ocupar o espaço de dois bancos no ônibus... Em seguida olhava para o mar quando alguma coisa ofuscou minha vista me fazendo cobrir os olhos, se tratava de um "Homo lâmpada fluorescentis" passando na minha frente... Um ser esquelético e inimaginavelmente branco que refletia os raios do sol como nada que eu já tenha visto antes. Aconselho a comunidade de estudo de fontes alternativas de energia estudar suas propriedades refletoras para repensar o aquecimento de água por energia nuclear...
E vou acabando por aqui, sem revisar, porque só tenho dois minutos e meu dinheiro acabou... Até mais ver!!!

sábado, 29 de agosto de 2009

Depois do descanso...(pt1)

Pois é, mentes também cansam... E, após um período (que parecia ter sido programado) de recesso de respostas filosofadas volta-se à ativa. E de tal modo que vou ter que postar em duas partes e uma especial para uma discussão inimaginável. Aqui vai a primeira.
Não pensem que meus colegas pegaram leve só por aquecimento, já começaram respondendo convictamente todas as perguntas e perguntando sem medo de serem felizes. O assunto era embriologia e incrivelmente mais de 80% da turma estava prestando atenção (sim, prestando atenção à aula) quando começou a formar-se a pergunta (e por sinal só começou, porque não deu tempo de terminar): “Ei professor, quando a criança nasce recém-nascida...” Caro leitor, coloquei reticências porque ninguém conseguiu ouvir o fim da pergunta, provavelmente ouvia-se o som das gargalhadas na secretaria... Então o professor completou: “Calma aí... ocorrem casos da criança já nascer adulta!” Hahahaha! E depois o sarcástico sou eu...
Ainda nessa mesma semana, numa típica aula de história do Brasil enquanto muitos balançavam a cabeça fingindo que estavam entendendo, o professor falava da situação econômica no Brasil da época. E concluindo o raciocínio o professor explicou: “Isso por causa do café”, e um colega completou: “E do feudalismo!” Hahahaha! Então o professor virou pra ele e falou com uma incrível cara cínica de surpresa: “Sério?! Nunca que eu ia imaginar que o feudalismo havia chegado ao Brasil!” Bem, nem eu! Hahahaha!
Vou aqui e volto já...

Depois do descanso...(pt2)

Voltei (rápido não?)
Química também é cultura... E foi numa destas sobre radioatividade que vivemos uma experiência que vai acompanhar-nos até nossos túmulos. É também sobre esta aula a postagem especial que segue abaixo, mas peço-lhe que leia logo esta postagem para entender a situação passada pelo professor neste dia.
Todos sabemos que os “raios x” podem causar problemas de saúde e que até por isso o período de trabalho dos radiologistas é reduzido. E é normal termos dúvidas sobre isso, mas ao que foi perguntado não se aplicam adjetivos. Foi-se perguntado como os raios x atingiam as pessoas e o professor deu uma excelente explicação, como sempre faz, e logo em seguida surgiu a inqualificável: “E quem trabalha com xerox também é afetado?” Incrivelmente o professor conseguiu não rir e respondeu seriamente.
Em seguida, falando sobre os raios alfa, beta e gama o professor foi alvejado por uma pergunta que até parecia que ia terminar bem: “Professor, raio beta tem cor?”, e como era esperado de uma pergunta desse calibre ele respondeu seriamente: “Não, ele é invisível”. E querendo explicar tal pergunta foi-se dito: “É que eu queria saber se aquele peixe beta tinha alguma coisa a ver com a cor e tal...” Claro, a sala caiu na gargalhada, por isso que eu disse “parecia que ia terminar bem”.
Mas não parou por aí! Só que o que vem em seguida é tão inacreditável que decidi fazer uma postagem especial só pra isso! Continua na postagem debaixo...

Detruidor de infâncias

Todas as crianças têm seus super-heróis favoritos. E, creio eu, não haver problemas em se acreditar neles nessa fase da vida. Mas uma coisa aconteceu que me fez refletir: “Nossa, que mer***!”
Acontece que na aula de química a qual me referi na postagem acima, enquanto falava-se de raios gama, o professor comentou que esse raio provoca mutação genética. Exatamente quase (entendeu a precisão?) seis segundos depois um aluno comenta: “Ah! Então é por isso que o cientista só vira Hulk depois de levar raios gama!”. O professor virou-se, chocado, lentamente e disse: “Vamos continuar a aula”. E a aula seguiu.
Minutos depois, ainda nos raios... Não lembro quais nem onde estavam os comentários, acho que tinha me virado para falar com Kelvin na hora. Mas lembro muito bem do que foi dito. “É por isso que a criptonita tem aquela reação no filme, é professor?”. Lentamente, com um olhar de fazer qualquer criancinha correr, o professor olhou para toda a turma e pediu a atenção de todos. Em seguida, desferiu aquelas palavras cruéis: “Terceiro ano!!! Olha pra cá!!! Prestem atenção!!! Papai Noel, Coelhinho da Páscoa, Hulk, Superman, Homem-aranha, não existem! É ficção! É tudo mentirinha!!!” Nesse momento a sala se converteu num rio de lágrimas. Aquele professor desalmado destruiu todas as nossas fantasias infantis...
Quando se pensa que certas coisas não acontecem num terceiro ano, prova-se o contrário... É, amigos... “Isso é FANTÁSTICO!!!”

sábado, 25 de julho de 2009

Férias?! Não conheço essa palavra!

Uma coisa estranha está acontecendo comigo... É a primeira vez que isso acontece... Estou sem palavras para a introdução... Não sei se por falta de inspiração, preguiça de bater os dedos nas pequenas teclas do teclado que fazem um barulho irritante ou se simplesmente essa carga absurda de absurdos falados pelos, também absurdos, pensamentos das mentes que ainda filosofam absurdamente nesses dias de aulas extras, quando devíamos estar nas nossas férias absurdamente tediosas me faz ficar sem palavras... Enfim, vou direto ao assunto enquanto me pergunto se você, caro leitor, entendeu alguma coisa que eu falei acima...
Pois bem, você leitor, seja Kelvin, Humberto, Prof. Acácio, Paulo, Elizabeth com suas inúmeras amigas, ou algum outro leitor cujo nome não me vem à cabeça ou que eu não sabia que estava lendo esse blog deve estar se perguntando: "Onde esse povo acha tanto tempo pra falar tanta mer***?" E eu lhe respondo: para meus colegas pseudofilósofos (descobri agora que não tem hífen) não há tempo ruim, é só abrir a boca que é filosofia pura! Se você acha isso impossível, você não estuda ou não já estudou na minha sala. E, como manda a tradição, vamos à aula do Professor Acácio...
Discutíamos ecologia (quer dizer, chegamos em ecologia enquanto falávamos de vírus) quando foi feita a pergunta: "Como é chamado o processo de poluição dos rios?" Gritaram então: "Urbanização!" Confesso-lhe, leitor, que quase pulo de susto ao ouvir essa resposta! Finalmente, uma resposta inteligente! Estava errada, é lógico, mas é inteligente! Afinal, a urbanização provoca a poluição dos rios... Vai ver ele começou o raciocínio, mas terminou no meio... Tá quase lá, siga em frente, dá mais corda que anda!
Preferia continuar a narrar os ocorridos no mesmo parágrafo, mas esse acontecimento memorável pede um parágrafo exclusivo... Cinco minutos após o fato anterior, o professor continuava tentando arrancar alguma resposta aproveitável dos alunos da classe. Decidido a cumprir sua árdua missão, fez a essa indagação: "Se, pra se decompor, o plástico precisa do oxigênio presente na água, o que vai acontecer no rio?" Peço que o senhor leitor, agora provavelmente entediado por estar lendo isso, pense um pouco nesta pergunta e tente respondê-la. Tempo...! Já está bom, pensou demais. A resposta gritada foi essa: "A água vai morrer!" A sala caiu na risada... Mas esse aluno não se deu por vencido: "Né não é? Não tem o mar morto!" Volto a usar esta expressão: não, isso não é uma piada, é real!...
Se alguém leu isso até o final, eu tenho um pensamento pra falar: "Não há nada tão ruim que não possa piorar", espere pela próxima postagem, as situações devem ser bem piores que essa...

sábado, 11 de julho de 2009

Virou moda?

Estando eu de férias, e assim, sem mais pérolas de meus colegas pseudo-filósofos (exceto umas guardadas na reserva, esperando inspiração para serem postadas) perdi-me em pensamentos que só me levavam ao vazio (para você que não entendeu o trocadilho: a lugar nenhum). E, numas dessas filosofadas enquanto esperava para ver Kamen Rider na tv, para ser mais específico, um pensamento sem origem justificável surgiu-me à cabeça: "E se eu ficasse doente agora?"
Tentando responder ("essa" ou "a essa"?) pergunta cheguei em duas conclusões. Primeira: eu ia ter que depender da medicina da minha avó materna, já que a saúde (ou pelo menos os órgãos responsáveis pela mesma) estão em greve. Segundo: é incrível, tem sempre alguma coisa em greve em Recife! E, pelo que me parece, esse ano foi recorde (no dicionário é sem acento)! Só esse ano já teve greve de ônibus, metrô, professores e agora dos hospitais! Pergunto-me se isso é questão de moda, pois todo ano tem greve das mesmas coisas... Greve outono-inverno de professores e primavera-verão de hospitais...
As empresas poderiam começar a fazer investimento nas greves mais variadas que fossem e até inventar novas... Estaria resolvido o problema da crise mundial!!!

domingo, 28 de junho de 2009

Parece piada... mas não é!!!

Após algum tempo ausente, por causa da falta de assunto decorrente de uma semana super parada de provas, voltei com alguns absurdos soltados nas aulas de recuperação. Sim, caro leitor, eu estou em recuperação... Acontece que a química não entra na minha cabeça...Mas, enfim...
que o assunto é química... Numa aula de biologia (incrível, 80% dos ocorridos foram na aula de biologia, mesmo não tendo, às vezes, nada a ver) o famoso professor Acácio pediu que os presentes citassem sais minerias possivelmente conhecidos. Alguns poucos tiveram sucesso nas respostas, mas, como eu esperava, muitos não sabiam, outros nem ouviram a pergunta e outros roncavam... Mas dos que estavam acordados, uma resposta me deu motivo para criar essa postagem. Uma voz feminina iniciou sua enumeração ao fundo da sala: "Hélio, Neônio, Argônio, Kriptônio, Xenônio e Radônio"... Exatamente, caro leitor, a pseudo-filósofa ditou toda a família 8A da tabela periódica!!! Isso nos serve de exemplo de como as pessoas podem errar se não fizerem um chute consciente (se é que isso existe)...
Química no terceiro ano não é fácil... Mas, como diria meu professor de geografia, "isso é um pleonasmo!"...

sábado, 13 de junho de 2009

É parecido, mas... (DDDs parte 3)

estou eu, novamente, com mais um dos diálogos superinteressantes das DDDs (Doidas mais Doidas do Decisão) que nos fazem refletir sobre palavras parecidas...
Num dia altamente sem assunto, esperávamos a chuva passar para irmos para casa (que eu me lembre foi nesse dia, mas não tenho certeza). Então eu e Elizabeth, uma das DDDs, começamos a conversar sobre música e tocamos na música gótica. Instantaneamente, a outra DDD presente (não digo que foi Denise porque ela é minha amiga) fez a seguinte pergunta: "Gótico é religioso, é?" Em coro, eu e Elizabeth, respondemos: "Não, nunca foi!". Porém, a ainda confusa pessoa, fez outra pergunta: "E Aline Barros é o quê?". E, de novo em coro, respondemos: "É GOSPEL!!!"... Não, leitores, isso não foi ensaiado, foi real...
E, pra completar, no mesmo dia falamos (agora eu, Denise e um outro colega) sobre remédios. E a mesma DDD falou sobre um tal remédio de "caixa preta". No mesmo momento me perguntei se aviões tomavam remédio... Porém, num momento em que minha ignorância tomou liberdade, corrigi minha colega dizendo que eram remédios de "faixa preta"... Ah ta, agora remédio luta caratê... Sorte que no dia seguinte fui esclarecido e hoje sei que são de "tarja preta"...
Pois é... dessa vez até eu entrei pro meu próprio blog... estou andando demais com as DDDs...

sábado, 6 de junho de 2009

O Português é a nova língua mundial?

Um dia desses, enquanto o tédio tomava conta da minha mente numa típica noite de dia útil e o sono não era suficiente para me mandar à cama, decidi esperar que o mesmo tomasse uma maior proporção que pudesse me convencer a fechar os olhos e descansar de mais um dia cansativo de aula. E, após refletir um pouco, percebi que nada melhor para me provocar sonolência rápida do que um capítulo de novela das oito da emissora que, aqui em Recife, é assistida no canal 13 da rede aberta. E assistir à novela me traria sono rapidamente, com certeza, se não fosse pela estranha sensação que um diálogo, digo, um não, vários diálogos me proporcionaram fazendo com que o sono se tornasse um pouco mais tardio.
Para que o leitor entenda (caso não assista a referida novela) o que estou a explanar, vou fazer uma leve explicação do que é necessário. A novela se passa na Índia e no Brasil, porém, em cenas diferentes, o que faz com que os diálogos em lingua indiana sejam traduzidos. Mas o que me causou tal sensação, digamos que de perda de nacionalidade, foi uma cena em que um brasileiro chega na Índia e começa a falar, em português (e do Brasil ainda por cima), com as pessoas comuns que passam na rua. E pior! Elas respondem na língua nativa e o brasileiro entende com a maior certeza do que está ouvindo. Mas o contrário também aconteceu! Um (ou mais, não me lembro) indiano chegou ao Brasil sem a menor noção de português e falou com todos tendo uma total conpreensão!
Daí, com essas cenas em minha confusa e cansada (agora mais ainda) mente, o sono felizmente chegou em bom tempo. Não tive tempo de refletir naquele dia, pois o sono me fez babar o sofá, me fazendo perceber que eu estava dormindo o que me levou, em passos de zumbi, à minha fria, porém macia, cama. Mas aquelas cenas grotescas não me saíram da mente e me levaram a pensar na manhã seguinte. Porém, decidi ignorar esses pessamentos vãos, afinal percebi que era inútil perder meu tempo de correr para não perder o ônibus que já esquentava o motor na esquina à frente da minha casa, tentando entender uma novela que mais parece um conto de fadas. E, como era de se esperar, perdi o ônibus e fui andando para a escola, mais uma prova de que assistir novelas só leva a perder tempo...

sábado, 30 de maio de 2009

O que será do Brasil...

Certas experiências por que passo na sala de aula me fazem pensar mais um pouco sobre aquela velha frase: "O futuro da nação são os jovens" (a frase é mais ou menos essa... foi o que deu pra lembrar dela). Pois bem, se os jovens são o futuro da nação e considerando, também, que meus colegas de classe fazem parte deste grupo de jovens, adianto-lhe, leitor, a perspectiva de que o Brasil vai à falência. "Por que?", o senhor me pergunta, e eu lhe respondo com três exemplos.
Como bem sabemos, a história é uma ciência que relata os fatos do passado, porém, a menos que os alunos pseudo-filósofos da minha classe tenham reinventado a história desse país, há uma revolta na história do Brasil que provavelmente foi recém descoberta pelos meus colegas: a "farinha sem osso e galinha sem pescoço". Vai ver foi contemporânea à comprovada "carne sem osso e farinha sem caroço"...
Mas não foi apenas a história que foi alterada, caro leitor... a nossa ortografia também foi alvo das mentes pensantes de meus colegas. Quando perguntado pelo professor Acácio, de biologia (sim, foi de biologia, não de português), o que é o "clímax", essa incrível resposta feriu nossos ouvidos: "Clímax é o clima com "s" no final"... Nossa, isso quer dizer que um novo som foi atribuído à letra "s", o som de "x" quando com som de "ks"!!! E ainda nesse português da aula de biologia, foi perguntado o que é "perniciosa", e foi-se respondido que "perniciosa é uma coisa cheia de pernas"... Incrível! Então, nessa linha de raciocínio, concluímos que "esputar" nunca foi cuspir e sim... enfim, não importa o que seria...
O que importa é que, ou nos mudamos do Brasil, ou viveremos num país com uma cultura um tanto confusa...

Universos paralelos? (DDDs parte 2)

Por pedido das DDDs, as pensadoras do assunto que estou prestes a expor, seus nomes serão divulgados. É bem provável que apenas um ou dois dos leitores conheçam as mesmas, mas, por elas terem enchido meu saco pra colocar os seus nomes, aí estão: Elizabeth, Denise e Emilly... Satisfeitas agora? Ficaram famosas... Pois bem, vamos ao assunto.
Não me pergunte, caro leitor, de onde saem tais conversas tão produtivas para nosso intelecto, até porque elas apenas surgem, como se tivessem vida própria e perfuram nossa inteligência como uma lâmina afiada (nossa, estou poético hoje...). Aconteceu assim: havia escrito, no verso de uma embalagem de cd, "Made in Hong Kong". Foi daí que formou-se o comentário: "Ah, Hong Kong fica no Egito"... Segundos depois, percebendo o erro, a DDD voltou-se para nós, com o intuito de corrigir seu erro: "Ah não, Hong Kong é na Coréia!". Mas não para por aí, caro leitor, no dia seguinte ela fez questão de se corrigir novamente e nos esclareceu ainda mais a real localização: "Ei, é não, Hong Kong é no Japão!"
Pensando nesse assunto outro dia, busquei uma explicação para tal confusão da minha colega, e cheguei a uma possível conclusão: ela viaja por universos paralelos!!! Exatamente! E, em cada cópia do planeta Terra em outro universo, Hong Kong está em um país diferente! No dia em que ela disser que Hong Kong é um protetorado chinês, saberemos que ela realmente está entre nós!

sábado, 23 de maio de 2009

Biologia é realmente interessante...

Se alguém ainda lê esse blog, sabe quão ricos são os conhecimentos dos meus colegas de classe pseudo-filósofos. E o que estou prestes a narrar é a mais pura e limpa (nossa, que redundância higiênica...) demonstração desses conhecimentos que fazem coçar nossos cérebros.
Sinceramente, não sei como explicar ou se há explicação para a resposta dada por um aluno a uma pergunta do professor Acácio (o mesmo do post debaixo). Seguiu-se assim: "O oxigênio é produzido a partir de quê?" e instantaneamente a resposta: "Do O2!"... Bem, faz sentido...
E, pior é que não parou por aí! No dia seguinte, numa aula também de biologia, porém com outro professor, um outro comentário de um outro excelentíssimo aluno-pseudo-filósofo  nos fez sair da última aula com uma célebre frase que devia ser analisada a fundo pela comunidade dos nutricionistas do Brasil: "Trufa é bom pra glicose!"
Daqui descobrimos uma coisa que nenhum biólogo, por mais renomado que seja, jamais descobriu: a glicose é um órgão!!!

Uma culinária um tanto exótica... (DDDs parte 1)

Muitas vezes me surpreendo com o que aprendo ou descubro com meus amigos na escola, é incrível a variedade de assuntos que podem ser explanados entre dois alunos do terceiro ano e três alunas do primeiro ano, ambos do ensino médio, durante o intervalo: desde uma mosca verde planando no ar sem sair do lugar até o que irei narrar agora. Pois bem, que se dê início à narração.
Ao final de uma aula de biologia do anteriormente citado(em outros posts) professor Acácio, as três DDDs(Doidas mais Doidas do Decisão), como se auto-intitulam(tem hífen ou não?), conversavam sobre algo relacionado a comidas. Confesso que não sou um grande entendedor de assuntos culinários, pois, para mim, o que interessa é o gosto.
Com o desenrolar da conversa, um prato me chamou a atenção. Do modo como foi pronunciado, o nome do tal prato me fez imaginar algo inimaginável (essa palavra existe???). E não é pra menos, o que você, leitor, pensaria se eu lhe oferecesse um "peixe acocorado"? Convenhamos que é bem difícil de fazer um peixe se acocorar... e foi o que eu pensei até que me fora esclarecido que o tal nome possuía crase, sendo assim um "peixe À cocorado"...
Talvez agora o senhor leitor me pergunte: "mas só falaram isso durante todo o intervalo?",  e antes que pergunte vou logo prosseguir. Acontece que  o intervalo não acabou aí, e os pratos prosseguiram. E dos seguintes, o que mais me chamou a atenção foi  "pipoca com catchup". Não sei se oriundo da criatividade inexplicável das três DDDs ou de alguma outra razão ainda mais inexplicável, mas esse prato surgiu, e eu, até hoje, não me atrevi a provar.
Com o toque avisando o final do intervalo, voltamos às salas e a conversa se encerrou, porém, aquela imagem bizarra continuou na minha mente: um peixe acocorado...!

domingo, 26 de abril de 2009

Darwin deu um pulo no túmulo!!!

Sempre me perguntei como uma sala de terceiro ano do ensino médio pode falar tantas coisas interessantes num ano só. De modo que me dá condições de suprir esse blog todo final de semana. Mas, vamos direto ao ponto.
Naquele velho assunto de animais mamíferos, ovíparos e assim por diante, temos o direito de possuírmos alguma dúvida não tirada na segunda ou terceira série. Mas, revendo esse assunto semana passada, uma discussão acabou se formando. "Mas, finalmente professor, cobra é ovípara ou ovovivípara?", então o professor respondeu: "Tem cobra ovípara e ovovivípara", mas o ainda não satisfeito e agora aparentemente confuso aluno perguntou: "E não tem cobra mamamimífera não é?"
Coitado do Charles Darwin se ele ainda fosse vivo! Não há evolucionismo no mundo que responda essa pergunta! O que sobrou do corpo dele no caixão tá se debatendo até agora!!!

terça-feira, 21 de abril de 2009

Problemas de lingua...

Certas vezes somos atormentados com certas dúvidas de português (e até de inglês também), que nos levam a perguntar a alguém ao lado. E, acreditem, isso é mais comum com amigos meus do que os senhores leitores imaginam. Pois bem, essa introdução me remete a dois casos ocorridos no mesmo dia.
Algumas vezes, durante nossa vida, paramos para nos perguntar a origem de alguma coisa ou de alguma palavra. E talvez uma dessas perguntas levaram um dos meus amigos pseudo-filosofantes (alguém sabe se ainda tem hífen... o se já tinha hífen?) a expelir o incrível comentário acerca da palavra esperança: "Esperança é quando se espera por alguma coisa". É, nós não podemos negar que faz muito sentido...
E o outro caso ocorreu com a língua do "tio Sam". Quando a professora explicava o significado da expressão "I hope". Para aqueles que não sabem, isso pode ser traduzido como "eu desejo" ou "eu espero". Foi então, que uma reação inesperada aconteceu. Um de meus colegas que estava discutindo virou para o outro e falou: "I hope you dane-se!!!". Incrível! Eu não sabia que era possível prestar atenção à aula, discutir e ainda fazer uma frase inacreditável como essa ao mesmo tempo!!!
Depois dessa eu fiz uma reflexão que se encaixa bem nessa situação: "Será que quantos mais aprendemos, mais burros ficamos?"

sábado, 18 de abril de 2009

Até em química os brasileiros dão um "jeitinho"!!!

Na presente semana um professor meu me contou uma coisa muito interessante e que me fez refletir... Essa coisa foi a resposta de um aluno para a seguinte pergunta: "O que é destilção simples?"
Todos sabemos que química não é uma matéria assim tão fácil, mas sabemos também que enrolar é um dos costumes aderidos à cultura brasileira. Pois bem, atente à resposta do indivíduo: "Você faz uma linha reta no chão e em seguida anda por cima dela até o outro lado e volta. Você vai estar "destilado", não é simples?"
Incrível a praticidade com que nós, brasileiros, fazemos as coisas acontecerem! Eu não faço a mínima idéia da nota que o referido aluno ganhou, mas, se eu fosse esse professor, consideraria metade da questão só pelo raciocínio lógico do rapaz... Esse é brasileiro! Nem precisa de exame de DNA!!!

domingo, 5 de abril de 2009

A revolução começa no Brasil!!!

Uma coisa me deixou um pouco curioso hoje, enquanto estava no onibus, a caminho da igreja. Acontece que o fato de olhar pro lado pode mudar a sua vida, isso todos nós sabemos. Mas o significado que essa frase assumiu para mim foi uma coisa especial... se eu não tivesse olhado para o lado hoje, eu não saberia o que sei. Essa frase é bonita, mas não a damos tanto sentido se não a vivermos! Pois bem... já está bom de suspense...
Sentado à janela do lado direito do ônibus (pra você que ainda não aprendeu os lados, é o lado do cobrador), uma coisa súbita me fez olhar à direita e me deparar com a seguinte coisa: "Checap na hora".
Bem... eu, com meu pouco mas bom inglês, posso lhe garantir que isso não faz parte do inglês nem aqui nem no Japão (lá também falam inglês, pra você que não estuda e passa o dia no computador)... porém, isso é uma revolução no mundo do borracheirismo!!! Agora, além de "Check-up" temos tambem "checap"... ou seja, é a evolução da tecnologia borracheirística!!!
Então, faça a coisa mais certa para o seu carro... leve-o para fazer um "checap na hora" seja lá o que for isso!!!

sábado, 28 de março de 2009

Até pra demorar temos pressa!!!

Ouvi uma coisa, essa semana, que me fez pensar. Não conheço o contexto da situação, mas mesmo assim não pude parar de perceber como uma merda pode ser tão filosófica... Todos sabemos que os tempos modernos (eu acho isso super antigo: "tempos modernos", sei lá... parece nossos avós falando...) nos impõem uma pressa que é tão nossa que já nem precebemos, só vemos quando, após o carnaval, já é natal!!! E isso que escutei me deixou pensativo: "Ei! Demora mais depressa aí!!!"
A que ponto chegamos!!! Isso quer dizer que a demora tem que ser mais rápida que ela mesma!!! Incrível!!! Se é assim, então é o ovo que vem da galinha e não a galinha do ovo!!! O macaco que veio do homem, e não o contrário!!!
Hahahahahahahaha!!! "Demora mais rápido!", essa é nova!!! Hahahahahaha!!!

Bio-química geográfica!

Cá estou eu de novo, novamente, pra falar de um comentário incrível de tão inacreditável!!! Era aula de biologia, no assunto de bioquímica pra ser mais exato, quando o professor fez uma pergunta bem comum: "O que é Mg?" Por causa do barulho, algumas pessoas não entenderam, então, o professor foi ao quadro e escreveu "Mg". Meus fieis 3 leitores (sim, tem mais um!!!) sabem muito bem que o referido Mg é um elemento químico. Porém, uma alma infeliz de um dos meus colegas filósofo-pensantes teve uma errônea confusão de matérias (talvez ele tenha nascido com o cérebro de cabeça pra baixo, sei lá) e respondeu com a seguinte frase: "Eu sei professor! Mg é Minas Gerais!"
Bem... Querendo ou não, não podemos discordar... Mg continua sendo Magnésio e Minas Gerais ainda é MG... Enfim, a lógica é certa, mas...

domingo, 8 de março de 2009

Uma questão de ponto de vista...

Certa vez, numa aula de biologia, discutíamos sobre nutrição. Pois bem. Convenhamos que, certas vezes, ficamos confusos em relação aos nomes de alguns alimentos. Como nenhum exemplo me vem à cabeça, vou direto ao fato.
Um aluno parecia estar prestando atenção à aula (parecia, apenas) quando uma dúvida súbita o fez levantar a cabeça de repente e expelir esta pergunta desgraçada: "Professor, o que seria carne de soja?" Bem... É bom esclarecer que estou escrevendo me segurando para não rir, porque se eu começar a rir, não vou conseguir terminar. Voltando ao assunto, já que targiversei (super nova essa palavra). Após absorver aquela pergunta a qual não se aplicam adjetivos, o professor mirou o aluno com a cara mais cínica do mundo e respondeu: "Soja..."
Mas, veja bem, vamos raciocinar... a pergunta não foi TÃO sem lógica assim… Como poderia ser carne de soja, já que soja é vegetal e carne é de origem animal? Seria uma carne vegetal? Ou um vegetal com músculos? Bem, não sou eu a pessoa mais indicada para responder isso, mas uma coisa eu sei… carne de origem vegetal é horrível!!!

E eu que pensei que era pessimista...

Esse ocorrido filosofante aconteceu ao final de uma aula de química, quando o professor reforçava de novo novamente (eu não me canso de falar isso) que se você teve uma boa base no 1° e no 2° ano você tem uma maior facilidade no terceiro ano. Pois bem, todo mundo já ouviu isso. Mas o fato não é esse. Ao terminar de falar ele completou o pensamento com a seguinte frase: "O seu futuro está no seu passado". E, se alguém lê esse blog desde o começo, esse alguém vai saber muito bem que essa frase não ia passar em vão.
O ocorrido foi este: um dos excelentíssimos aluno-filósofos da minha sala se manifestou numa tentativa de fazer a frase um pouco mais concreta. "Ah, então se meu futuro está no meu passado eu to lascado!!!"
Assim, eu termino essa narração com uma frase para a sua reflexão. "Não seja pessimista, nem quando estiver sendo realista..."

domingo, 1 de março de 2009

É por isso que eu prefiro inglês!!!

  Cada dia que passa me faz refletir mais e mais sobre um assunto. Eu poderia fazer um grande investimento com um esforço mínimo, simplesmente com um lápis e papel. Se eu juntasse todas as merdas que são faladas na minha sala de aula e vendesse como estrume o lucro seria muito bom... mas, enfim...
  O ocorrido ocorreu (adorei essa expressão) numa aula de português... Enquanto a professora explicava os tais gêneros que todo mundo comumente erra. Tais como a alface, a bacanal e "a omelete", que provocou o comentário: "Mas professora, por que é a omelete se vem do ovo?" Essa pergunta gerou a excelentíssima resposta de um outro colega filósofo: "Mas o ovo, vem da galinha... é por isso..."
Hahahahahaha... Eu estou chorando de rir até agora. É por isso que eu digo: "3° ano do ensino médio também é cultura!"

Medicina avançada, mas sem exagerar...

  Antes de relatar o ocorrido, vou esclarecer para os meus três leitores (esse número é verdadeiro) como funciona. A maioria dos acontecimentos postados aqui realmente ocorreram, foram frutos das mentes esdrúxulas de meus colegas de classe. Fatos falados, como o que vou contar a seguir, ocorrem frequentemente na minha sala de aula, e é só ouvir "Jonathan, anota!!" que já tenho algo pra postar... Mas, indo para o que realmente interessa...
  Isso aconteceu numa aula de história, sobre o antigo Egito. Enquanto comentava sobre a medicina egípcia, mais especificamente o ato de retirar o cérebro do cadáver pelo nariz, o professor foi interrompido por uma pergunta sensacional: "Ei professor, os egípcios tiravam o pulmão dos "morto" pelo nariz não era?" Você deve imaginar que toda a sala caiu na risada. E o melhor foi a resposta sagaz que o professor não conseguiu segurar, mesmo morrendo de rir: "É claro! Inclusive tiravam também os testículos!" 
  Hahahaha!!! Com essa eu vou dormir mais inteligente hoje!!!

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Bateu a amnésia...

Esse fato "altamente mais ou menos" (como diz Tião, diretor do colégio que estudo) aconteceu repentinamente quando conversávamos sobre coisas que sentimos falta dos anos que se passaram no colégio. Tudo ocorria ligeiramente bem quando o energúmeno (se escreve assim mesmo? o.O) do meu amigo Daniel (não digo o sobrenome porque Mesel é meu amigo ^^) começou sua quinquagésima (é difícil escrever isso... quinquagésima...) lembrança...
-Mas nunca mais me esqueço daquele dia... esqueci...
MEU FILHO!!!! SE MATE (como diria Humberto, um grande amigo meu)!!!!! Se vai falar de algo que você nunca esquece, pelo menos não esqueça algo inesquecível!!!!! o.O Eita... que frase filosófica, não... Vou parar de andar com esses doidos do colégio... aparentemente é contagioso...

sábado, 31 de janeiro de 2009

Reforma ortográfica Made In China

Eu sei que é importante estudar as novas regras ortográficas da lingua portuguesa, mas em certos momentos eu acho que há pessoas que levam o termo "reforma ortográfica" ao pé da letra. É importante salientar que reforma indica mudança, mas, PELO AMOR DE DEUS, não é porque o nome é reforma que vai mudar TUDO!!! Eu sei que você não está entendendo o por que de eu estar escrevendo isso... vou explicar...
Acontece que uma alma infeliz escreveu chinesa com "X"!!!! EXATAMENTE!!! Xinesa!!! Meu filho!!! Seja lá que você for (eu vi isso no orkut)!!! Mude de lingua!!! Vá pro espanhol, italiano, xinês, mude para que lingua você quizer, mas desista do português!!! Você não nasceu pra falar portugues, pode ter certeza!!!!

Presidente popstar

Não sei se alguém percebeu isso, mas eu sim e isso me fez rir por algum tempo. Acontece que o novo presidente dos EUA (Barack Obama, pra você que não assiste jornal) é a nova celebridade que aparece da noite pro dia (um período de meses pra sem um pouco mais exato, mesmo que bem pouco exato). Decerto que nosso atual presidente Lula também teve seus dias de mostrar sua barriguinha (adoro esse eufemismo!) numa praia de sei-lá-onde com uma sunga vermelha, mas Obama ta sendo o assunto mais chato da tv nesses últimos dias!! É só trocar de canal que você escuta algo sobre ele! É lógico que os paparazzi não iam perder a chance de tirar umas fotos do novo presidente de férias, embora isso não interesse a ninguém, mas já ta enchendo o saco! Só o que se escuta é: "O primeiro documento assinado por Obama", "A repetição do juramento por Obama" e outras variações. Pelo que me parece só faltou mostrar "A primeira ida de Obama ao banheiro da Casa Branca como presidente" !!! Um apelo à mídia: POR FAVOR!!!! ESQUEÇAM OBAMA!!!!

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Notícia pós-novela

A novela mais comentada do ano passado, mas que acabou esse ano, deixou na memória de todos (os que não desistiram na metade, porque a novela era muito complicada) a vilã que fez mais maldades na tv brasileira (desde que eu assisto novelas). Flora, a mulher que pensava catar bem o "Beijinho Doce" (que já deve ter perdido o açúcar de tanto que foi cantado) tem uma nova vaga de emprego caso saia da prisão futuramente.
Pois é, as características vem bem, até demais, a calhar: é louca, um pouco sádica, e vive armada. Está na cara de todos: ela vai ser o novo "Coringa" do Batman!!
Já que o antigo ator, que eu não sei o nome (que Deus o tenha, com todo o respeito), não está mais entre nós, a vaga está aberta. Então, que venha a Flora e o "Beijinho Doce"!... Quer dizer... Só a Flora, deixa o "Beijinho Doce" prá lá...

domingo, 18 de janeiro de 2009

Ler muito nem sempre faz bem

Sempre se vê nos telejornais (não sei porque, mas eu acho esse termo tão antingo...) aquelas velhas reportagens: "Dê livros para seu filho ler. Afinal ler desenvolve a imaginação" e etc e tal... Não estou aqui pra discordar (até porque não discordo) disso, mas tenho um breve aviso. LER DEMAIS FAZ MAL (à seu senso de época textual) (caramba! To falando difícil hoje!)!!
Como? É bem simples... Conversando com um amigo meu um dia desses, ele me contou uma conversa que teve com um conhecido dele. Depois de uma pergunta sem compromisso: "E a familia... como vai?" Ele respondeu como se vivesse em 1800 e alguma coisa: "Tudo normal... sem nenhuma agregada da família com nomeação de minha namorada"
Meu véi... seja lá quem você for... pare de ler Machado de Assis e outros escritores clássicos URGENTE!! Você está voltando no tempo psicologicamente!! Comece a ler algo como algum livro do Casseta e Planeta rápido!! Volte para a realidade!!! Não vá para a luz!!!

domingo, 11 de janeiro de 2009

Descobri o segredo de Jorge!

Exatamente! Eu descobri o segredo do nosso amigo Jorge (porteiro do meu colégio) pra matar os mosquitos! Aconteceu assim:
Eu tinha ido pegar alguma coisa na sala de Tião (não me lembro o que, acho que era o meu violão que tava guardado). Quando nos entramos (os tres: eu, Jorge e Tião, o diretor) a sala estava fedendo. Foi então que Jorge disse:
-Isso foi bombada. Alguém colocou SBT aqui!

Tá explicado!!!!! É provado que a programação do SBT ta tão ruim q ta matando até mosquito!! Sem contar que é uma boa tática: chama uns mosquitos pra tomar umas rodadas de sangue assistindo a tv... em alguns minutos não sobra nenhum!! heheh
Bem pensado Jorge!!

Campeonato na Inglaterra

(piada contada no Programa do Jô)
Foram para um campeonato de arco e flecha na Inglaterra um japonês, um inglês e um português. O japonês abriu a competição. E atirou a primeira flecha acertando bem no meio da maçã na cabeça de um espantalho, que era o alvo. Orgulhoso, olhou para os outros e disse: I am a Samurai! Em seguida, o inglês atirou e acertou bem no meio da flecha do japonês partindo-a em duas partes. Também orgulhoso virou para os outros e disse: I am Hobin Hood! Logo em seguida... o português iria lançar a sua flecha. Ele se concentrou, mirou, atirou e acertou bem no meio da cabeça do boneco. Virando para os outros ele disse: I am sorry!

E aew?!! o.Ô

   Um dia desses, enquanto conversava com um amigo via "msn paper" (pra quem não sabe é a famosa conversa em folha de caderno que vai voando por cima da cabeça do amigo do lado), numa daquelas aulas em que o professor fala para a própria sombra, surgiu em minha mente (que tava de saco cheio da aula) a seguinte pergunta: "Por que nós escrevemos "e aew" se falamos "i " e pior... quando se lê "ia eu" ?"
   Pude tirar logo de cara que eu podia formar frases de maternal com isso: "E aew pra casa quando vi um gato", "E aew pro parque quando tropecei numa pedra" e etc.
   Filosofando sobre isso com meus amigos que também não estavam nem aí pra revisão de alcanos, alcenos e alcinos, tiramos algumas conclusões, porém, a resposta veio ao fim da aula com uma frase do professor ao perceber a dispersão da turma. "Vamo pessoal..." (não está errado, é que só dá pra entender o que ele realmente quis dizer quando se escreve o que se pronuncia) "... vamo trabalhar pra quando quizer cumê tê" . É lógico que todo mundo caiu na gargalhada, mas sempre tem aquele que chega e diz: "Professor! Que safadeza na sala de aula!". E ele responde a nossa dúvida sem querer: "A culpa não é minha! A culpa é da língua portuguesa"
   Pois é amigos... nossa dúvida foi respondida pelo professor Adriano Grego... A culpa do "e aew" que se fala "iaê" e se lê "ia eu" foi respondida: "A culpa é da língua (portuguesa)!" 

sábado, 10 de janeiro de 2009

Momento de reflexão...

Se você está em um daqueles momentos da vida em que está precisando de um conselho, eu tenho duas frases para você. Uma para reflexão e uma para guardar no coração (num era pra rimar... saiu sem querer):

Reflita:
"O princípio da insanidade, é querer obter resultados diferentes realizando as mesmas coisas" (anônimo)

e

Guarde no coração:
"Se um dia quem você ama lhe trair, e você pensar em se jogar de um prédio, lembre-se: você tem chifres, não asas!" (www.danosse.com)